Faltou o pão

O prefeito de São Sebastião do Paraíso, Marcelo Morais, deu uma verdadeira aula sobre como ser um ditador durante a audiência pública da Câmara Municipal da cidade para discutir a municipalização do ensino básico, na semana passada.
Suas palavras mostraram que a audiência foi um verdadeiro circo, pois afirmou que a reunião dos vereadores com pessoal ligado à educação nem precisava acontecer, pois ele poderia municipalizar a educação quando quisesse, sem autorização de ninguém.
O show do prefeito veio através de vídeo chamada direto da Santa Casa, pois ele estava internado por causa de covid-19.
A audiência, que culminou com a aprovação da municipalização, gerou polêmica entre apoiadores e não apoiadores dessa lei. Com 9 votos favoráveis os vereadores afirmam que a cidade ganhará duas novas escolas, acabará com a defasagem de vagas em creches e o número de desempregados do setor não passará de 50 e que poderão ser reaproveitados a partir do próximo ano.
Já os contrários à municipalização afirmam que mais de 100 profissionais perderão seu trabalho em plena pandemia.
Também afirmam que a lei estadual de municipalização, que contou com a adesão de São Sebastião do Paraíso, não garante que a verba de RS 8 milhões para a construção de novas escolas será liberada.
“O projeto Mãos Dadas do governo estadual que prevê a adesão das cidades à municipalização diz que a verba virá para a cidade se o governo estadual tiver recursos.
Se não tiver os RS 8 milhões ficarão na promessa, além das demissões que prejudicarão muitas famílias”, afirmou o vereador Sergio Gomes, contrário à municipalização.
O tempo dirá quem tem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *